Seu cocô é único: vírus no intestino são diferentes em cada pessoa

Seu cocô é único: vírus no intestino são diferentes em cada pessoa

Como uma impressão digital, as comunidades de vírus no intestino humano são únicas em cada um. Mesmo gêmeos idênticos têm coleções muito diferentes de vírus que colonizam seu intestino delgado.

Segundo a pesquisa, isso entra em contraste com as comunidades bacterianas, que são semelhantes em indivíduos relacionados. Mas as bactérias podem viver e se reproduzir por conta própria, já os vírus só podem se reproduzir dentro de um hospedeiro.

O estudo lança luz sobre o mundo ainda quase inexplorado de vírus que vivem no intestino baixo. A maioria desses vírus não causa doenças. Eles devem influenciar as atividades de micróbios, que entre os seus benefícios, nos permitem digerir determinados componentes, como carboidratos à base de plantas, que não conseguimos digerir sozinhos.

Nos últimos anos, uma série de projetos em todo o mundo pretende catalogar os micróbios que vivem dentro e sobre o corpo humano, com o objetivo de compreender a relação entre as comunidades microbianas (incluindo os vírus e bactérias) e saúde e doença.

Os vírus nas amostras de fezes não parecem exibir o estilo de vida predador-presa vista nas comunidades do meio ambiente. Ao invés de tentar matar uns aos outros, as bactérias e os vírus parecem estar envolvidos em um relacionamento mutuamente benéfico: as bactérias fornecem um caminho para os vírus se reproduzirem e os vírus podem fornecem genes extras que beneficiam seus hospedeiros bacterianos.

Novos estudos ainda querem descobrir como os vírus se alojam no ecossistema intestinal e como são influenciados pelo estado nutricional de seus hospedeiros humanos.

Fonte: Hypescience